Pesquisar este blog

Translate

quinta-feira, 9 de abril de 2015


Os 7 alter-ego mais famosos das Cantoras POP
Desde que David Bowie lançou o disco "The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars" alguns cantores bebem em sua fonte e criam "personagens" para seus álbuns, uma dessas por exemplo é Madonna, que costuma lançar praticamente um personagem diferente a cada disco/era. Mas o que é um alter-ego afinal? Simples, alter-ego (do latim alter = outro, ego = eu) pode ser entendido facilmente como "outro eu". Na psicologia, o alter-ego é designado como uma parte inconsciente do "eu". Em obras literárias é comum autores assinarem com outros nomes, creditando assim todos os pensamentos e estilos daquela obra específica áquele autor, ou seja, aquela faceta. Alter-egos musicais não são tão diferentes. O alter-ego trata-se de um "eu" íntimo e pode ser visto como um substituto para certas ações, onde o artista deposita maior confiança e brinca com identidades.

O mundo POP atual é povoado de alter-egos, que ajudam no conceito final de seus álbuns e concertos, o 
Disco Punisher listou os 7 mais famosos:


Beyoncé / Sasha Fierce

Beyoncé sempre foi referência quando o tema é sensualidade, mas em novembro de 2008 ela daria oportunidade para o público de conhecer uma mulher ainda mais sexualmente agressiva: Sasha Fierce. O alter-ego de Beyoncé foi apresentado através do álbum "
I Am... Sasha Fierce". O álbum era composto por dois discos: "I Am..." ficava com a parte suave e doce, representava Beyoncé, recheado de baladas e midtempos R&B. O segundo "Sasha Fierce" apresentava o "outro-eu" de Beyoncé, era um disco em que o electro/euro-pop dominavam, a visão de Sasha do mundo era mostrada através de músicas como "Diva", "Single Ladies" e "Sweet Dreams". Segundo a própria Beyoncé: "Sasha Fierce é divertida, mais sensual, mais agressiva e o lado mais sincero e mais glamouroso que surge quando eu estou trabalhando e quando estou no palco". Entendeu agora por que a performer faz aquelas maluquices no palco?


Britney Spears / Mona Lisa

Esse alter-ego não chegou a ter grande existência de fato. Reza a lenda que 
"Mona Lisa/Original Doll" seria um projeto a ser lançado por Britney Spears depois do disco "In The Zone", (in) felizmente (?) a primeira gravidez de Britney e o romance conturbado com K-Fed atrapalharam os planos de Mona Lisa. O fato é que a entertainer possui uma música chamada "Mona Lisa" que é toda sombria e autobiográfica (Britney co-escreveu). O alter-ego também aparece no vídeo de "Do Something" que a própria Britney dirigiu (note no começo do vídeo um brasão com o nome "Mona Lisa"). Mona Lisa seria o começo de uma era na carreira de Britney Spears, onde aparentemente ela tomaria as rédeas de suas produções pela primeira vez, aí veio a gravidez, os surtos e o resto você já sabe...


Madonna / Dita Parlo


O alter-ego mais complexo da lista é sem dúvidas Dita Parlo, pela riqueza de material e peculiaridades. Em 1992, Madonna lançaria o disco "
Erotica" e o livro no "SEX", para tanto, ela resolveu criar Dita, inspirada por uma atriz alemã da década de 20, que fazia cinema mudo. Dita, segundo Madonna: "É uma mulher que gosta da vida e da liberdade, uma persona, uma mulher fatal, uma fantasia". A imagem de Dita era a de uma dominatrix sexy, sadomasoquista e decidida, Dita vivia num mundo sexual, livre de preconceitos, moral e sem AIDS. Na época, Madonna foi uma das pioneiras ao falar sobre homossexualidade e AIDS abertamente com a mídia. Dita pode ser ouvida no disco "Erotica" todo, sussurrando e mandando mensagens subliminares ao ouvinte, ao som de trip-hop/jazz beats, nos palcos ela se apresenta na "The Girlie Show". A carreira de Madonna ficaria marcada pra sempre com sexo depois de Dita Parlo. Perguntada sobre o que era obscenidade para Dita/Madonna, ela pontuou: "A obscenidade está diante das nossas caras. É o racismo, a discriminação sexual, o ódio, a ignorância, a miséria. Há coisa mais obscena que a guerra?"


Nicki Minaj / Roman Zolanski 

Apesar da curta carreira, Nicki Minaj já possui uns sete alter-egos, que no caso dela funcionam mais como personagens do que alter-egos mesmo, até pela falta de construção dos mesmos. Roman Zolanski aparece no álbum "
Pink Friday", é um garoto gay extremamente raivoso: "Ele é o garoto que vive dentro de mim, ele é um lunático e gay”. Os personagens assinados por Nicki Minaj tem origem de uma infância conturbada, para escapar dos seus traumas de infância e superar as constantes brigas entre os seus pais, ela criava personagens e mais personagens e vivia a sua vida dentro deles. Primeiramente criou a Barbie, frágil e doce, posteriormente surgiu Roman que tinha função de defender a Barbie. Tem também a Martha é a mãe do Roman que é rígida pra cacete e quando vê que ele se juntou com o Slim Shady, manda ele pra um internato que fica em Moscow, mas tempos depois Roman volta ainda mais furioso e revoltado. Roman pode ser visto no mais recente disco de Nicki e também na performance do Grammy desse ano.


Lady GaGa / Jo Calderone

Depois de todos os looks bizarros exibidos por Lady GaGa, no VMA de 2011 ela faria uma performance com seu alter-ego Jo Calderone. Jo é um modelo italiano e namorado de Lady GaGa, sua primeira aparição foi num photoshoot para a edição japonesa da 
Vogue, até então ninguém entendia qual era a proposta do personagem (na verdade, ninguém entende muito bem até hoje). Calderone já apareceu diversas vezes na carreira de Lady Gaga, no vídeo de "You and I", VMA, photoshoots e fez declaraçõezinhas polêmicas em entrevistas. Ao explicar porque ele foi ao VMA no lugar de GaGa, disse: "GaGa me desafiou a vir até aqui, para que eu provasse meu amor por ela, ok? Que se foda! Não sou ator, cantor ou qualquer coisa dessas...". Na noite do VMA, Calderone tentou beijar Britney Spears: "Britney é gostosa pra caralho! Vocês sabem, Gaga é minha namorada, mas a Britney é a Britney, porra! Você não batia umas punhetas pra ela quando era adolescente?".


Christina Aguilera / Baby Jane

Baby Jane não chega a ser um alter-ego completo, por não ter personalidade tão definida quanto os citados anteriormente, mas não deixa de ser interessante por isso. Tudo começou com brincadeiras nos bastidores, onde a produção de Christina inventou o apelido de "
Miss Baby Jane", a partir daí Aguilera resolveu adotar o personagem pra boa parte da era "Back to Basics" (2006). Baby Jane na verdade é um personagem do filme "What ever happened to Baby Jane?" de 1960, Bette Davis interpreta uma cantora que é famosa e depois cai no esquecimento do público. O alter-ego pode ser visto com maior clareza nos vídeos de "Ain't No Other Man" e "Candyman" e durante a tour do álbum, onde ela encarna uma diva de jazz que usa peças de roupa bem vintage, mas sem deixar de ser sexy. She got trouble, trouble, trouble...


Kathy Betty Terry / Katy Perry

Kathy Betty Terry tem 13 anos e está na oitava série, é uma típica nerd e deixa isso bem claro nas redes sociais em que participa (
facebook e twitter), adora jogos de Sudoku e não tem popularidade alguma no colégio. Terry também morre de inveja das festas que sua vizinha Rebecca Black dá todas as sextas-feiras. O alter-ego de Katy Perry fez parte do período de divulgação do bem sucedido single "Last Friday Night". Betty aparece no vídeo todo, que tem uma pegada 80s bem forte, do visual até o roteiro, que é uma versão "upada" dos romances adolescentes da época. Há também diversas referências POP no vídeo, Kenny G tocando saxofone, Just Dance 2 nos videogames e jogadores de futebol americano. Betty também tem um namorado gostosão, arranjado no final do videoclipe. Não se sabe se o alter-ego vai fazer parte da vida de Katy Perry novamente, mas os fãs torcem pra que isso aconteça logo.


BÍBLIA: RELAÇÃO DO QUE ESTÁ ESCRITO COM A REALIDADE
Não venho aqui para impor a ninguém que pratique qualquer religião. Venho apenas para mostrar que algumas das coisas que estão escritas na Bíblia Sagrada estão acontecendo ou já aconteceram na atualidade.

No livro de Daniel 8 está escrito:

"No terceiro ano do reinado do rei Belsazar, eu, Daniel, tive outra visão, a segunda. Na minha visão eu me vi na cidadela de Susã, na província de Elão; na visão eu estava junto do canal de Ulai. Olhei para cima e, diante de mim, junto ao canal, estava um carneiro; seusdois chifres eram compridos, um mais que o outro, mas o mais comprido cresceu depois do outro. Observei o carneiro enquanto ele avançava para o oeste, para o norte e para o sul. Nenhum animal conseguia resistir-lhe, e ninguém podia livrar-se do seu poder. Ele fazia o que bem desejava e foi ficando cada vez maior. Enquanto eu considerava isso, de repente um bode, com um chifre enorme entre os olhos, veio do oeste, percorrendo toda a extensão da terra sem encostar no chão. Ele veio na direção do carneiro de dois chifres que eu tinha visto ao lado do canal, e avançou contra ele com grande fúria. Eu o vi atacar furiosamente o carneiro, atingi-lo e quebrar seus dois chifres. O carneiro não teve forças para resistir a ele; o bode o derrubou no chão e o pisoteou, e ninguém foi capaz de livrar o carneio do seu poder. O bode tornou-se muito grande, mas no auge da sua força , seu grande chifre foi quebrado, e em seu lugar cresceram quatro chifres enormes, na direção dos quatro ventos da terra. [...]"

Estes versículos trazem algo muito parecido com o que aconteceu com as torres gêmeas, no atentado do 11 de setembro. Vamos as comparações:

"Junto ao canal estava um carneiro": As torres gêmeas eram localizadas próximo a um canal. Veja:


  Este é o local onde ficavam as torres, e vejam que há um canal próximo a sua antiga localização. Podem procurar se quiserem. (Imagens Google earth)

"Seus dois chifres eram compridos, um mais que o outro, mas o mais comprido cresceu depois do outro.": Os dois chifres são a representação das torres, que eram uma maior que a outra.



"Enquanto eu considerava isso, de repente um bode, com um chifre enorme entre os olhos, veio do oeste, percorrendo toda a extensão da terra sem encostar no chão. Ele veio na direção do carneiro de dois chifres que eu tinha visto ao lado do canal, e avançou contra ele com grande fúria. Eu o vi atacar furiosamente o carneiro, atingi-lo e quebrar seus dois chifres. O carneiro não teve forças para resistir a ele; o bode o derrubou no chão e o pisoteou, e ninguém foi capaz de livrar o carneio do seu poder.": O bode é uma representação dos aviões, pois está escrito que eles atravessaram toda a extensão de terra sem tocar no solo, e o único meio que pode fazer isso é o avião. O chifre enorme que o bode tinha entre os olhos poderia ser os misseis que os aviões carregaram e com isso o bode (Avião) derrubou os dois chifres do carneiro:




No livro de Mateus 24 versículo 2-8 nós temos:

"Vocês estão vendo tudo isso? Perguntou ele. (Jesus Cristo) Eu lhes garanto que não ficará aqui pedra sobre pedra; serão todas derrubadas. Tendo Jesus se assentado no monte das Oliveiras, os discípulos dirigiram-se a ele em particular e disseram: Dize-nos, quando acontecerão essas coisas? E qual será o sinal da tua vinda e do fim dos tempos? Jesus respondeu: Cuidado, que ninguém se engane. Pois muitos virão em meu nome, dizendo 'Eu sou Cristo' e enganarão a muitos. Vocês ouvirão falar em guerras e rumores de guerras, mas não tenham medo. É necessário que tais coisas aconteçam, mas ainda não é o fim. Nação se levantará contra nação, e reino contra reino. Haverá fomes eterremotos em vários lugares. Tudo isso será o inicio das dores."


"Guerras e rumores de guerras", "nação contra nação e reino contra reino"


Terremoto em pista

Terremoto no Haiti

Terremoto no Haiti

E a fome:


OS 4 CAVALEIROS DO APOCALIPSE:

O livro de Apocalipse é o ultimo livro da Bíblia e ele narra os fatos que hão de acontecer no fim dos tempos. Como espectros fantasmagóricos de guerra, os quatro cavaleiros do Apocalipse apareceram em visão, diante do apóstolo João no final do primeiro século d.C. O que realmente simbolizam estes quatro cavaleiros? Foram eles meramente um pesadelo, fruto da imaginação do velho apóstolo João? Ou representam uma profecia que hoje em dia podemos ver aos poucos acontecer? Aqui está revelado o significado dos quatro misteriosos cavaleiros do livro de Apocalipse.


Em Apocalipse 6:1-8, João vê os quatro cavaleiros, uma reafirmação simbólica da Profecia das Oliveiras expressa acima. E um meio de se provar que esses eventos estão para acontecer é a evidência contextual do próprio livro de Apocalipse. Em Apocalipse 9:16, João fala de um exercito com um efetivo de 200 milhões de homens.  Ora, havia, nos dias de  Cristo ou do apóstolo João, uma população escassa sobre a terra. O mundo não passou da marca de um bilhão de pessoas até 1850. Nenhum exercito de um grupo de um grupo de nações possivelmente alcançaria o número profetizado de 200 milhões até que a Terra pudesse abrigar pelo menos um bilhão de pessoas.

O contexto de Mateus 24 também mostra que o cumprimento final destas profecias ainda será  para um futuro mais distante não para o passado ou o presente. Jesus Cristo disse que as suas mensagens seriam cumpridas num tempo quando o aniquilamento total da humanidade fosse possível (Mat. 24:21,22). Este período começou com a era nuclear, que pode em menos de um segundo aniquilar toda a vida na terra.

O PRIMEIRO CAVALEIRO DO APOCALIPSE:

   

O primeiro cavaleiro do Apocalipse foi descrito pelo apóstolo João desta maneira: "E olhei, e eis um cavalo branco: e o que estava assentado sobre ele tinha um arco, e saiu vitorioso, e para vencer" (Apocalipse 6:2). Este primeiro cavaleiro que está assentado sobre o cavalo branco representa um Cristo FALSO. Ele simboliza um evangelho e uma igreja falsa. Esse falso Cristo é um instrumento de Satanás. E esse poderoso instrumento terá carisma e poder fora do comum! Ele deslumbrará o mundo todo com os seus milagres, mobilizando grandes exércitos. Depois que esse "cavaleiro do cavalo branco"  proclamar que ele é o próprio Deus, os seus seguidores "sairão vencendo e para vencer" em nome do seu deus, o falso profeta. Uma série de guerras religiosas sufocando as campanhas, açoitarão a terra. Isso levará diretamente e se envolverá com o segundo cavaleiro: A GUERRA!

Grandes igrejas que propagarão o falso evangelho


O SEGUNDO CAVALEIRO DO APOCALIPSE:


Segundo a espantosa visão de João que continua, Jesus abre o segundo selo e João vê um cavalo vermelho. Então registrou ele: "E saiu outro cavalo, vermelho; e ao que estava assentado sobre ele foi dado que tirasse a paz da terra, e que se matassem uns aos outros; e foi-lhe dada uma grande espada" (Apocalipse 6:4). Este cavaleiro recebeu autoridade para tirar a paz da guerra, e a ausência de paz é guerra. E depois das muitas guerras referidas em Mateus 24:6, o versículo seguinte fala que se levantará "nação contra nação e reino contra reino". é uma indicação de que haveria guerra mundial entre um grupo de nações aliadas contra outro grupos de nações. O mundo já sofreu dois turnos de guerra: A primeira e a segunda guerra mundial, mas nenhuma delas representou proporções alarmantes de extermínio nuclear a que se refere Mateus 24:22 "E, se aqueles dias não fossem abreviados, ninguém sobreviveria". Isto se refere a uma guerra total, com o extermínio de toda a humanidade como provavelmente aconteceria - a menos que houvesse a intervenção divina. 

Como aconteceu com o primeiro cavaleiro que "saiu vitorioso, e para vencer" em nome de sua falsa religião, o segundo cavaleiro vem rapidamente no seu rastro também para vencer. A profecia assinala o instrumento politico como "A Besta", que representa ma aliança de dez nações.

O TERCEIRO CAVALEIRO DO APOCALIPSE:  



"E olhei", escreveu João, " e eis um cavalo preto..." (Apocalipse 6:5-6). Tão certo como o terceiro cavaleiro apareceu no rastro do segundo, a fome surge rapidamente após a guerra como consequência da destruição das lavouras, contaminação de suprimentos e água, e a morte  dos animais domésticos. O terceiro cavaleiro do Apocalipse não simboliza propriamente as fomes do passado ou as do presente, mas especificamente a grande fome do tipo que hoje assola a África e em breve se espalhará por todos os continentes. 



O QUARTO CAVALEIRO DO APOCALIPSE:


Quando o quarto selo foi aberto, João viu um cavalo amarelo. "E, havendo aberto o quarto selo, ouvi a voz do quarto animal, que dizia: Vem, e vê. E olhei, e eis um cavalo amarelo, e o que estava assentado dobre ele tinha por nome Morte; e o inferno o seguia; e foi-lhes dado poder para matar a quarta parte da terra, com espada, e com fome, e com peste, e com as feras da terra". Pelo contexto do versículo 8 não está claro o que este cavalo representa, exatamente, mas se pode encontrar um indício na palavra "amarelo". 

A palavra "amarelo" é uma tradução do grego chloros. É o mesmo radical do qual é derivado o termo clorofila. Na linguagem bibica, isso significa um verde-pálido, um verde-amarelado da cor da doença.

Jesus Cristo, ajusta-se à palavra mais correta ao interpretar o significado deste cavalo verde-pálido; "... e haverá... PESTES..." (Mateus 24:7). As pestes referidas por Jesus correspondem às doenças epidêmicas em algumas partes do mundo - Pandêmicas.

Assim como o quarto cavaleiro vem logo depois do terceiro, as doenças epidêmicas do mundo atacarão duramente no rastro deixado pela fome. Outros milhões de pessoas morrerão. O último dos quatro cavaleiros provocará a mortandade de um quarto da humanidade por todas as formas atribuídas aos quatro cavaleiros (Apocalipse 6:8). Esta mortandade representa cerca de um bilhão de seres humanos.

Eis algumas das doenças que se propagarão sobre a terra: "O Senhor te ferirá com a tísica [doença que consome e depaupera], a febre, e a inflamação [doenças contagiosas] , ... com tumores, com sarna [doenças que definham] e com prurido, de que não possas curar-te [doenças incuráveis]. O Senhor te ferirá com loucura [doença mental], com cegueira, e com pertubação do espirito  [traumas emocionais]" (Deuteronômio 28:27)

Esta é uma lista significativa de "pestilências" que acontecerão. Mas ainda tem mais. Deus adverte a seguir: "Porque enviarei entre vós as feras do campo, as quais vos desfilharão, e desfarão o vosso gado, e vos apoucarão; e vossos caminhos serão desertos" (Levítico 26:22).

E o homem também será morto pelas "feras da terra", não só por ataques de animais como pelas doenças transmitidas por eles.