Pesquisar este blog

Translate

domingo, 14 de setembro de 2014



Moda ou inspiração demoníaca?

O ocultismo, as mensagens subliminares, as consagrações, são muito mais comuns do que qualquer um de nós possamos imaginar.

Navegando pela web, você descobrirá um vasto mar de informações sobre o assunto e perceberá que algumas empresas e ou empresários têm um alto grau de comprometimento com as forças ocultas ou com o próprio diabo. Vasculhe a internet, pesquise o código fonte de alguns Sites e você verá com seus próprios olhos, um mundo oculto apenas para aqueles que não querem ver o óbvio: O mundo jaz no maligno!

Para que você entenda melhor o que estou dizendo, tentarei colocar aqui alguns exemplos que lhe darão a direção para novas pesquisas e descobertas a fim de alertar os demais e de tomar os seus próprios cuidados com aquilo que você consome, compra, veste e ou coloca dentro da sua casa. Com isso não quero lhe dizer que deva se privar de comprar, vestir ou utilizar, mas sim que: Tudo aquilo que você comer, comprar, vestir, calçar, ou colocar dentro da sua casa, deve ser consagrado a Deus! Consagre todas as suas coisas a Deus, repreenda qualquer outra consagração que possar ter sido feita sobre objetos, alimentos e etc...

Mulheres, tomem cuidado com determinadas modas e até mesmo movimentos (modismos), muitos são inspirações domoníacas vindas de Lílith, Succubus e ou Jezabel. Espíritos que trazem grande poder de sedução, lascívia e te fazem insubmissa e infeliz nos relacionamentos e casamento.

Veja alguns exemplos:

Exemplo 1

Na foto abaixo, você vê que um modelo de tamanco ou sandália aparentemente comum, é na verdade inspirado na imagem de um demônio. Observe a comparação entre os pés do demônio da foto e os pés da mulher que utiliza o novo modelo de calçado.

O demônio da foto é um Sátiro; Sátiros, são deuses lascivos da floresta, demônios caprinos, representados com chifres, rabo de bode, pernas de bode e pênis sobre-humano. (Lascivo = Conduta ultrajante, pensamentos ou atos totalmente imorais que induzem à sexualidade)

Posso assim lhe dizer: Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém!




Exemplo 2

Utilizar um produto, batizado com o nome de INCUBUS (inccubus) pode ser algo absolutamente comum, normal e inocente, não é verdade? Mas... se você pesquisar um pouco, descobrirá que não há inocência por traz desse nome! Incubus é o nome de uma banda de Rock Americana, formada em 1991 e também foi o nome de uma linha da calçados femininos, lançada pela Reebok em 1997.

Diante da descoberta e polêmica sobre o significado do nome INCUBUS a Reebok disse através de um porta-voz que não sabia explicar os motivos que levaram a equipe de MARKETING a batizar o calçado com aquele nome, e orientou os varejistas a taparem o nome que aparecia apenas nas caixas e não nos calçados.  Dias depois, toda a linha de calçados foi retirada do mercado e nem mesmo na internet encontram-se imagens daqueles calçados.

INCUBUS (inccubus) ou SUCCUBUS na verdade são espíritos malignos que nos tempos medievais desciam sobre as mulheres e faziam sexo com elas enquanto estas dormiam. Alguns dicionários definem a palavra simplesmente como PESADÊLO.


O fato é que, nada acontece por acaso, e que inocentes são apenas os recém-nascidos, por isso, maldito o homem que confia no homem. Sendo assim, tudo aquilo que entra na tua casa, deve ser consagrado a Deus!

Alguns vídeos e informações encontrados na internet, sobre INCUBUS

Succubus




 Succubus

Lilith (1892) por John Collier em Southport Atkinson Art Gallery 
Agrupamento Lendária criatura 
Criaturas similares huldra, sirene, Harpia, Sereia, Demon, Ondine, Vampiro 
Região Oriente Médio, Américas, Europa, Ásia 

Uma escultura do século 16, o que representa um súcubo. 
Um succubus é um demônio feminino ou entidade sobrenatural no folclore (remonta a lenda medieval) que aparece em sonhos e assume a forma de uma mulher, a fim de seduzir os homens, geralmente através de atividade sexual. A contraparte masculina é o Incubus. As tradições religiosas afirmam que a atividade sexual repetido com uma succubus pode resultar na deterioração da saúde ou mesmo a morte. 

Em representações modernas, um súcubo pode ou não pode aparecer em sonhos e é muitas vezes descrita como uma sedutora altamente atraente ou feiticeira; Considerando que, no passado, súcubos eram geralmente descritos como assustadora e demoníaca. 

Etimologia  

Olhe para cima súcubo em Wikcionário, o dicionário livre. 
A palavra é derivada do latim succuba "amante"; de succub (são) "mentir sob" (sub "em" + cubāre "deitar na cama") , usado para descrever o ser sobrenatural também. A palavra é atestada primeiro de 1387.  

No folclore  

De acordo com o Zohar eo Alfabeto de Ben Sira, Lilith foi a primeira mulher de Adão, que mais tarde se tornou um súcubo. Ela deixou Adão e recusou-se a voltar ao Jardim do Éden, depois que ela acasalou com arcanjo Samael.  Em Zoharistic Kabbalah, havia quatro súcubos que acasalou com o Samael arcanjo. Havia quatro rainhas originais dos demônios:. Lilith, Mahalath, Agrat Bat Mahlat e Naamah A súcubo pode assumir uma forma de uma bela jovem, mas uma inspeção mais próxima pode revelar deformidades no corpo deles, como garras de pássaro ou caudas serpentinas.  Folclore também descreve o ato de penetrar sexualmente um súcubo como semelhante a entrar em uma caverna de gelo, e há relatos de súcubos forçar os homens a realizar cunnilingus em suas vulvas que gotejam com urina e outros fluidos. no folclore depois, um súcubo tomou a forma de uma sereia. 

Ao longo da história, sacerdotes e rabinos, incluindo Hanina Ben Dosa e Abaye, tentou limitar o poder de súcubos sobre os seres humanos. No entanto, nem todos os súcubos foram malévolo. De acordo com Walter Mapes em De Nugis Curialium (Trifles de cortesãos), o Papa Silvestre II (999-1003) - estava envolvido com uma súcubo chamada Meridiana, que o ajudou a alcançar sua alta posição na Igreja Católica. Antes de sua morte, ele confessou os seus pecados e morreu arrependido. 

Capacidade de se reproduzir  

De acordo com a Kabbalah ea escola da Rashba, as três rainhas originais dos demônios, Agrat Bat Mahlat, Naamá, Eisheth Zenunim, e todos os seus companheiros dar à luz a crianças, exceto Lilith.  De acordo com outras lendas, os filhos de Lilith são chamados Lilin. 

De acordo com o Malleus Maleficarum, ou "martelo das bruxas", escrito por Heinrich Kramer (Institoris) em 1486, um súcubo coleta de sêmen dos homens que ela seduz. Os demônios íncubos ou masculino, em seguida, usar o sêmen para impregnar as fêmeas humanas,  explicando assim como os demônios poderiam aparentemente procriar filhos, apesar da crença tradicional de que eles eram incapazes de reprodução. Crianças assim gerados - cambions - deveriam ser aqueles que nasceram deformadas ou mais suscetíveis a influências sobrenaturais .O livro não aborda por uma fêmea humana impregnada com o sêmen de um macho humano não produziria uma prole humana regular. , embora depois de transferir o sêmen masculino ao íncubos acredita-se que o sêmen é alterada para coincidir com o material genético do súcubo e íncubos, antes de ser transferido para uma hospedeira humana. Mas em algum lore Viking a criança nasce deformada porque a concepção não era natural.

Qarinah 

Na mitologia árabe, o qarînah (قرينة) é um espírito semelhante ao súcubo, com origens possivelmente na antiga religião egípcia ou nas crenças animistas da Arábia pré-islâmica. A qarînah "dorme com a pessoa e tem relações durante o sono como é conhecido pelos sonhos ".  disse que estão a ser invisível, mas uma pessoa com" segunda visão "pode vê-los, muitas vezes sob a forma de um gato, cão ou outro animal doméstico. " Na Omdurman é um espírito que possui. ... Apenas algumas pessoas estão possuídas e essas pessoas não podem se casar ou a qarina irá prejudicá-los ".  Até à data, muitos mitos africanos afirmam [carece de fontes] que homens que têm experiência semelhante com como principado (súcubo) em sonhos (geralmente em forma de uma bela mulher) se encontram esgotados, assim que acordar; muitas vezes alegando ataque espiritual sobre eles. Rituais locais / adivinhação são frequentemente invocada a fim de apelar a Deus para proteção e intervenção divina. 

Mohini

Na Índia, o súcubo é referido como a sedutora "Mohini"; este é diferente do mitológico "Mohini", que é descrito para ser o matador de Bhasma Asura. Na Índia, um súcubo é descrita como uma senhora solitária envolto em um Saree branco (vestido tradicional indiana usada por mulheres), com longos cabelos soltos. Ela geralmente é dito assombrar caminhos solitários ou estradas, e morreram de tormento por um macho, e, assim, vingar-se de qualquer macho. 

Explicações científicas 

No campo da medicina, há uma crença de que as histórias relativas a encontros com súcubos qualquer semelhança semelhante ao fenômeno contemporâneo de pessoas relatando abduções alienígenas, [16], que tem sido atribuída à condição conhecida como paralisia do sono. Sugere-se portanto que os relatos históricos de pessoas que vivem em encontros com súcubos pode sim ter sido sintomas da paralisia do sono, com a alucinação das referidas criaturas provenientes de sua cultura contemporânea. [17] [18] 

Succubi na ficção

Ver artigo principal: Succubi na ficção 
Ao longo da história, súcubos foram personagens importantes da música, literatura, cinema, televisão e, especialmente, como vídeo game e personagens de anime. No mangá / anime Rosario + Vampire o personagem Kurumu Kurono é um súcubo. No jogo Darkstalkers, Morrigan Aensland e Lilith Aensland são súcubos. Na ficção Digimon, há um personagem chamado Lilithmon baseado em um súcubo, que representa o pecado da luxúria. Um súcubo também aparece em Catherine (vídeo game) onde o protagonista experimenta os terrores noturnos e é seduzido pela mulher de seus sonhos, apesar de ter uma namorada na vida real. Em um episódio de 5 ª temporada 23 de Barney Miller, um homem irado acredita que ele tenha sido frequentado por um súcubo e um pesadelo, fazendo com que seu crime. Na série de televisão canadense Lost Girl, a personagem principal Bo é uma súcubo. Na série Dresden Files por Jim Butcher, o clã de vampiros Raith Branca Tribunal são succubii e incubii que se alimentam de energia sexual. No romance Amanhecer de Stephenie Meyer, as três irmãs originais do clã Denali (Tanya, Kate e Irina) revelaram-se os criadores do mito da súcubo, como eles iriam seduzir os homens e drená-los de sangue após a relação sexual . Richelle Mead (Autor de Vampire Academy) escreveu uma série sobre uma súcubo chamada Georgina Kincaid. Ela aparece como um trabalho humano em uma livraria localizada em Seattle. Georgina seduz homens para a sua energia vital, a fim de permanecer vivo. Um dos personagens do webcomic Pibgorn, Drusilla, é um súcubo. No romance Uma vez ... por James Herbert, o personagem principal Thom Kindred é visitado por um súcubo que leva a uma grande batalha entre os dois, com a ajuda de um duende duende para recuperar sua propriedade perdida. No vídeo game World of Warcraft, a classe Warlock jogador pode convocar uma succubus como um companheiro demoníaca, enquanto no videogame Overlord, o súcubo é um inimigo relativamente comum e forte, especialmente se em grupo. No horror antologia filme V / H / S, o segmento "Amateur Night" apresenta três amigos que se deparam com uma criatura de inspiração súcubo. Na série de video game Castlevania, o súcubo é um inimigo popular, uma das mais notável é o súcubo em Castlevania: Symphony of the Night. Há também uma série de cartões inspirados no súcubo no jogo de cartas Cardfight !! Vanguard. O computador jogo de role-play NetHack também possui súcubos e íncubos. Um súcubo também aparece em Os Segredos Witch Falls por Vitaly Grigorowski.






Pesquise mais sobre o assunto e descubra o alto poder de sedução destes demônios sobre as mulheres e a devastação que eles podem fazer em seus casamentos ou vidas sentimentais, ao torná-las insubmissas, sensuais em excesso, lascivas e até mesmo prostitutas.

Bons estudos.