Pesquisar este blog

Translate

domingo, 14 de setembro de 2014


A Ameaça por de trás de "Twilight"



“Eu sou predador mais perigoso do mundo.Tudo em mim a atrai. Minha voz, meu rosto, mesmo o meu cheiro … Eu estou destinado a matar … Eu queria matá-la. Eu nunca quiz o sangue humano tanto em minha vida…Seu perfume, é como uma droga para mim. Você é como a minha própria marca de heroína”.
Assim diz o bonito vampiro, Edward Cullen, à sua amada de 17 anos, Bella Swan, no filme de sucesso Crepúsculo. Lua Nova, o segundo filme de uma série de quatro partes, estreiou nos cinemas em 20 de novembro de 2009. O próximo é Eclipse, previsto para Junho de 2010, a ser seguido por Breaking Dawn. Enquanto muitos pais cristãos nunca ouviram falar da saga Crepúsculo, esta sequência de romances sobre vampiros tornou-se maior que Harry Potter.
Tudo começou em uma noite escura – 1 de junho de 2003, para ser exato – Quando Stephenie Meyer teve um sonho estranho. Em seu site oficial, Meyer testemunha:
Eu acordei (naquele 2 de junho) de um sonho muito vívido. No meu sonho, duas pessoas estavam tendo uma conversa intensa em uma campina na floresta. Uma dessas pessoas era apenas uma menina comum. A outra pessoa era fantasticamente linda, brilhante, e um vampiro. Eles estavam discutindo as dificuldades inerentes aos fatos que os fizeram A) Cair de amor um pelo outro enquanto, B) o vampiro estava particularmente atraído pelo cheiro do sangue dela, e estava tendo um momento difícil restringindo-se de matá-la imediatamente.(1)
Este sonho foi tão convincente que quando Meyer acordou, escreveu como uma mulher atingida por um raio. Em um tempo relativamente curto, para grande surpresa de sua família, sua escrita compulsiva não só produziu quatro profundos romances como também a fez conseguir um grande negócio com a Little Brown Books for Young Readers, uma das maiores editoras de livros para adolescentes na América. Surpreendentemente, seus romances rapidamente foram para o topo das listas de bestsellers do New York Times. Em 21 de novembro de 2008, Crepúsculo, o filme, estrelou nos cinemas, arrecadando quase 70 milhões de dólares só no fim de semana da estréia. Neste momento, o rolo compressor parecia imparável.
Tal como aconteceu com Harry Potter, muitos consideram a saga Crepúsculo como um entretenimento perfeitamente inofensivo. Afinal, Edward Cullen é um vampiro vegetariano, isto é, ele só bebe o sangue dos animais, não dos humanos. Ele também protege sua amada Bella de vampiros assassinos que anseiam por seu sangue. “Soa como um romance saudável para mim!” dizem frequentemente os fãs de Crepúsculo.
Primeiro de tudo, “Harry Potter” também era um “bom rapaz”, no entanto a varinha mágica na mão do herói, fez crescer o interesse pela Wicca, magias e feitiços entre os adolescentes. O mesmo aconteceu com as séries de TV Medium e Ghost Whisperer cujas heroínas conversavam com pessoas mortas. O resultado? Aumento no interesse de diálogo com os mortos. Assim como vampirismo e beber sangue em crepúsculo! Você está brincando! Você deve estar pensando. Não, não estou. Poucos dias depois de Crepúsculo ter afundado suas presas nos cinemas em novembro de 2008, tanto a Fox News como a ABC News apresentaram reportagens especiais sobre o real e explosivo interesse em vampirismo ao redor do mundo.
Basta fazer uma pesquisa no Google por relatório Sean Hannity, “Vizinhos da Noite: Membros da subcultuira americana de vampiros podem estar vivendo debaixo do seu nariz”, ou a história da ABC News “Vampiros na vida Real: Quem são eles?” Você ficará espantado com o que encontra. Acredite ou não, o vampirismo real saltou para fora do caixão.
Então, o que a Bíblia diz sobre a ingestão de sangue? Surpreendentemente, ela diz algo. Pouco tempo depois do dilúvio, o Senhor disse a Noé:
“Tudo o que se move e vive será para vosso alimento…mas Mas você não deve comer carne com a sua vida, isto é, o seu sangue” (Gênesis 9:3-4)
Em outras palavras, se a carne era para ser comida, depois do dilúvio, o seu sangue devia primeiro ser drenado das carcaças dos animais mortos. Deus repetiu este conselho aos israelitas através de Moisés em Levítico 17:10, e isso foi mais tarde reafirmado pela Igreja primitiva em Atos 15:21. Assim, a ordem “sem sangue!” se aplica a todas as épocas.
Significativamente, a Bíblia também conecta a ingestão de sangue com o mundo místico do ocultismo. Moisés disse aos israelitas:
“Não comereis coisa alguma com sangue. Não agourareis, nem adivinhareis”(Levítico 19:26)
“Adivinhação” e “agouro” são práticas ocultas. Assim, a ingestão de sangue e ocultismo estão ligados entre si. Nos dias bíblicos, os bebedores de sangue, frequentemente praticavam feitiçaria, e tal prática existe ainda hoje. Em Crepúsculo, Edward tem habilidades psíquicas, lê mentes, e levita. Estas são as práticas ocultas. Assim o vampirismo e o ocultismo andam de mãos dadas também em Crepúsculo.
É a mesma velha história.
Indo além da proibição, a principal mensagem da Bíblia também gira em torno de sangue, mas de uma forma totalmente diferente. Na verdade, o sangue é o coração da Grande Guerra, entre Deus e Satanás.
Uma noite antes de Israel deixar o Egito, o Senhor declarou: “O sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; vendo o sangue, passarei por cima de vós, e não haverá entre vós praga destruidora, quando eu ferir a terra do Egito” (Êxodo 12:13). No Dia da Expiação, Deus disse a seus sacerdotes para matar os animais e para “aspergir um pouco do sangue” (veja Levítico 16:14) sobre o propiciatório de ouro acima dos Dez Mandamentos. Aqui o sangue estava no coração do serviço de Deus no templo.
Finalmente, numa noite fatídica de quinta-feira debaixo de uma lua cheia da Páscoa, Jesus Cristo distribuiu o suco de uvas esmagadas para seus discípulos. Só ele compreendia o significado completo daquele doce elixir. “Porque este é o meu sangue da nova aliança,” o verdadeiro Messias de Israel, declarou: “que é derramado por muitos para a remissão dos pecados” (Mateus 26:28).
Quando você coloca todos estes versículos juntos, torna-se claro que a salvação através do sangue de Jesus Cristo é o grito de batalha do Céu na Grande Guerra. Sem dúvida, Satanás odeia o sangue de Cristo. Ele sabe que não importa o quão culpados estamos diante de um Santo Deus, ainda assim, podemos encontrar esperança, cura e salvação plena através dessa nobre substância carmesim.
“Aghh! Como podemos impedir os perdidos pecadores de descobrirem o poder deste sangue?” Perguntam osDemônios das trevas a seus mestres em suas reuniões secretas. “através de diversões”, sussura astutamente o príncipe do mal. “Através da magia, ocultismo, vampirismo, e tudo aquilo que pudermos pensar para desviar suas mente daquele sangue que odiamos!”
O mais chocante é que após seu grande e inesperado sucesso que a levou ao estrelato Stephenie Meyer confessou mais tarde:
“Após ter terminado Crepúsculo, eu tive um sonho, e Edward veio me visitar – ele disse que eu havia errado ao escrever que ele não bebia sangue como todos os outros vampiros e que ele podia viver com os animais. Nós tivemos essa conversa e ele foi aterrorizante”
Estou convencido de que o “Edward” que apareceu a Stephenie Meyer em seus dois sonhos era um demônio com uma secreta e diabólica agenda. A julgar pela reação do público aos livros e filmes da saga Crepúsculo, não há dúvida de que sua trama infernal foi bem sucedida.
O apelo de Crepúsculo é duplo. Primeiro, é um conto fascinante sobre vampiros e lobisomens, e segundo, é uma história de amor agitando os corações de Edward e Bella. “Você pode ser fictício”, escreveu uma fã de Edward Cullen, “mas você tem roubado o coração de muitas garotas – incluindo o meu!”
Caro leitor(a), alguém quer roubar seu coração hoje. Seu nome é Jesus Cristo. Vampiros tomam sangue, mas Cristo derramou seu sangue por você. Três dias depois, Ele ressuscitou dentre os mortos. Acredite em mim, Seu amor é melhor do que o de vampiros, incluindo Edward.

Somente o sangue de Jesus Cristo pode salvar nossas almas.